segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Ela

Dói. Bem no fundo e também na superfície. Em tudo.
Segundos são arrastados por semanas. 
Minha boca está seca; Eu queria tanto um toque seu...
O brilho que eu tenho no coração está podre, fraco e fosco.
Repentinamente minha alma se joga ao vento oposto - sem força.
É tudo raso demais ou fundo demais.
As palavras são verdadeiras - Eu Te Amo.
Desejo tanto que dói. Anseio tanto que chego a esquecer de tudo mais.
Não é apego, veja bem. É isso que não podemos explicar.
Esse eterno clichê que lemos ou assistimos todos os dias.
Dói não te ter... Expurga o meu ser não poder te tocar.
Quero saber se sou realmente necessário no mundo. Se existo.
Todos deviam ser autos-suficientes, mas olhe só a novidade: - ninguém é.
Eu preciso de você tanto quanto do ar. 
Cai na real e vêm logo.

0 Confessaram:

Postar um comentário