quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Sem/Com

A estrada não tem fim. Não existe arrebatamento.
Por mais que se divirta agora, logo em seguia você irá se entediar.
O vulto de um culto, que leva a guilhotina nas costas.
Existe força, existe poder. Enfim, não sabe oque há de ser.
Frio e quente, sem precedentes.
Nada existe como ele pensava(criava).
Há de ser oque o mundo precisa, por que convenhamos, assassinos já existem muitos.
Vencer a si mesmo todos os dias.
Perder pra si mesmo toda hora.
Há uma caixa vazia com o meu nome escrito; ela apenas aguarda que eu faça as honras.

0 Confessaram:

Postar um comentário