quarta-feira, 19 de novembro de 2014

A Fome

Por dentro o vazio suga e repele; Sujo.
Não há de saciar-se; É infinito(por tempo ou sem tempo).
Os olhos que me seguem não possuem nenhum pudor - assim como os meus.
Nada se aplica ao entendimento - se faz sentido, então não há razão vil.
É que hoje, eu resolvi abrir os olhos.
Essas lentes do mundo, que mostram tudo que você quer ver.
O que sobrar, além da história, são apenas memórias;
Não irei me agarrar a elas, mas sim, viver com elas novamente.
No vazio do sono, entregarei novamente minha alma...

1 Confessaram:

Pedro Inácio disse...

O eterno devir de viver o que vivemo, de sonhar o que sonhamos.

Postar um comentário