terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Os Homens-Minuto

Mudo é o mundo que sujeita a sujeira,
Não cresce, nem diminui, mas espreita suas vidas,
Entorta via a beira,
Regressa perante as idas.

Lamento que não se preocupem com o ardor da pele;
Entristeço quando viram os olhos pros céus em chamas coloridas.
Não vou embora enquanto sentir que me compele.
Não deixarei que sobreviva esse complexo de Midas.

Palavra usada e recusada;
Agente neutro dessa motivação.
Enquanto um único velho fica na enseada,
É deixado de lado um outro à beira-chão.

Uma rosa pode sim brilhar dentre suas lágrimas,
Se enche e esvazia no meio ao puro cristal que desce.
Fazendo de todos nós vitimas,
Desce fogo que nos enrubesce...


1 Confessaram:

Tamiris Mend. disse...

Ah que maravilha!
Saudade da sua escrita, perfeitamente comedida.

Postar um comentário