terça-feira, 27 de novembro de 2012

Cupido

Deixe guardado, o gosto que não te esqueces.
É tempo de tudo, amor.
Não vá embora, fique com suas mãos dadas as minhas.
Faz o doce sabor da alma transbordar.
Me pede um beijo, um carinho.
Sorria de verdade pra mim. Me toca sem pudores.
Olhos fixos na vida, que passa tão rápido...
Use novamente a magia que tens, um elo perdido que encontramos.
Deixe que adivinhem, sem ao menos ter certeza.
Nada pode desfazer nossos laços.
A certeza de que o amanhã virá, não pode se tornar falha.
Uma faísca de uma estrela, pode acabar com um mundo de dor.
Se existem metades e almas gêmeas, você sempre foi a minha.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Suicide Note Pt2

Ninguém o faz deixando rastros.
Não alguém que o queira fazer.
E o sonho sempre vem.
Sentido encontrado no mais insípido olhar.
Purifique minha alma antes de me deixar partir.
Abrace esse corpo desolado pelas mentiras do mundo.
Nascer, consumir, morrer.
Me mostre a unica verdade que tem acontecido realmente.
É o que me faz continuar.
O sangue... O sangue...
Retira esses pensamentos, por favor.
Me sufoque com suas mãos, mas me deixe ter a honra.
Eu sei que é injusto, mas a vida é o que é.
Coração aberto, com uma pequena lâmina afiada.
Não me deixe sozinho por hoje.
Preciso do teu consolo.
Continua a me ajudar com o tem feito.
Não mude amor...
Deixe que eu limpe tuas lágrimas e que você limpe as minhas.
Me desculpe por não ser tão forte quanto você acha que sou.
Você tem o meu coração. E tudo mais.
Que seja uma declaração, invisível.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Outra (não) Despedida

A mesma tecla de sempre é pressionada com força. 
Rupturas na rede, fazem pensar o que congela a alma.

O garoto sorria para a T.V. enquanto ouvia as grandes risadas da família.
Casos e acasos. Exames de paternidade, notas de beleza, repentes inusitados.
Ele continuava com um sorriso no rosto. Estava tudo bem pra todo mundo.
Talvez alguém tenha percebido, mas achou melhor saber o resultado do novo reality show.
Que diferença faz um sorrisinho falso de uma criança? Ele que se acostume com o mundo.
Mas quando a T.V. desliga, os jogos acabam e o time da casa perde, as pessoas tem que "se" ouvir.
Com a cabeça no travesseiro, elas enganam qualquer um, menos a si mesma.
É nessa hora que o sorriso é desvendado e que a lágrima salga.
Vão dizer que foi um erro. Vão dizer que sentem muito.
Alguém, gaguejando e tremendo, vai se perguntar onde foi que errou.
Talvez a culpa seja da sociedade, que nos enfia as coisas goela a baixo.
Pode ser que a culpa seja do nosso sistema, que vende o ar que respiramos.
Pode ser nossa, inclusive, por "comprar" esse ar.
Quem sabe não exista um culpado...

Devagar, a porta se fecha. Mais uma alma se vai.
Agora, é se contentar com o barulho e a sujeira.
Ele, por sua vez, não teve culpa nenhuma.
Que bom que se foi antes de se tornar mais um vilão.