domingo, 16 de setembro de 2012

Sem Encanto

O escuro esmaga as paredes ao seu redor. Agonia.
Nem um mísero sinal de nada vivo; Nem mesmo ele.
Leva os olhos para todos os ângulos, quer tentar entender.
Não há fumaça ali, não há cheiro algum. Exceto um. O do medo.
Impossível dizer se chegou de repente ou se foi num estalo.
Não saberia dizer. Não agora com seu mundo encolhido.
Ele era tão gigante e agora se sente minúsculo...
O sangue parece frio, surreal. Algo novo ali.
Ascende a luz e tudo some. Do lado de dentro, continuava irrequieto.
Com o corpo trêmulo ele coloca as mãos naquele livro.
Vai tentar deixar a magia o consumir novamente.
Precisa disso agora, precisa de algo que o faça acreditar.
Não quer que esse frio permaneça rodeando ele.
E lá fora, está tão quente...
 

sábado, 15 de setembro de 2012

Recado Repetido

As horas travam uma batalha épica contra o relógio.
Não era assim há tanto tempo... Estou completamente perdido.
Me afogo no próprio ar ao tentar controlar essa dor. Não está certo isso.
Sua presença faz tanta falta aqui, que não sei mais das outras coisas.
Nada que eu faça, vai me distrair. Não há nada que eu queira fazer.
Visualizo o que me faz sorrir e deixo minha mente sonhar.
Meu egoísmo grita alto pelo seu nome, mas isso também não é justo.
Não com você. Você precisa disso. Não faria se não precisasse, faria?
Novamente, me deito pra dormir, rezando pra que quando eu acordar, você esteja aqui...