segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Não te abraço, morte

A espreita de sua cama, estava toda contente.
Tinha agora, outra vitima escolhida. Uma que não cabia no mundo.
Escolheu precisamente suas armas e começou o desfecho.
Parecia que seria fácil, mas aos poucos, foi se vendo uma batalha começar.
Pensou que poderia obter ajuda, mas queria toda a glória.
Fez sentir a dor jogar-se em todos os cantos. Sorriu com luxúria ao ver resultados.
Nenhuma tentativa estava funcionando do outro lado. A vitória estava garantida.
Sangue num copo sendo servido como vinho. Êxtase.
As fotos foram apagando-se aos poucos. A alegria dela foi acabando.
Agora era hora de partir. Seu trabalho estava feito.
Era esperar enquanto trabalhava em outra dimensão.
Talvez, sobreviessem aquilo.
A verdade é, que poderiam sim, sair ilesos dela.
Bastasse que ambos quisessem.



2 Confessaram:

TaTa disse...

Se quisessem ou ao menos tentassem.
Se valesse a pena, poderiam até fingir.

Jaci Rocha disse...

Não mais...
Perfeito!

Postar um comentário