sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Sustenido

Olhem como ele é lindo! Ressentido e culminado.
A sensação mais real que existe, sem poder conter ou mentir.
Ele te corroi, mas você o quer. Sangue derramado.
Veja ele agora mesmo, olhe para as tuas mãos.
Não achará nada aqui. Não tem salvação.
Castigue-o anjo negro.
Mais que nunca, o cheiro o contamina.
Selado com o que não se cita.
Num sonho anestésico, lendo o seu livro favorito.
Amigos que não sabem nem meu nome estão dançando comigo.
Foi fácil entrar, agora te mata, não é?

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Ânsia

Enquanto deixo meu corpo se deteriorar, tento cuidar da minha alma.
Alma essa que um dia acreditei não possuir.
Recito pensamentos insanos, que raros fazem questão de ouvir.
O que se passa agora, fora a voz que já não aguenta mais gritar, é um filme em preto e branco.
Infame como qualquer outro, mas nenhum pouco previsível.
Estou completamente cego, mas sinto as coisas mais fortes agora.
Vou deixar que esse buraco negro engula a todos.
Cada sentimento que for jogado no chão, terá oportunidade de existir.
Somos todos bonecos num grande jogo monopolizado.
Sempre, alguém ganha e outro alguém perde.
O que restar disso tudo, continuará sendo teu.
A raridade que carrego. Nada foi planejado.
Isso agraciamos todos os dias.
Tatuagem não é somente tinta.
Eu conheci meu amor antes mesmo de ter nascido.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

In Pain

Força irrelevante e doença mortal.
Rasguei todos as minhas veias, mas agora, não posso consertar nenhuma.
Analgésicos não fazem efeito algum.
Nenhum sorriso me cura.
Implanto na mente memórias agradecidas várias vezes.
Tento ouvir o que eu sempre quis.
Balbucio bem devagar o nome.
Esta tudo escuro. Cegueira permanente.
Enquanto deixo escorrer a vida, finalmente posso ouvir.
"Obrigado".

Não te abraço, morte

A espreita de sua cama, estava toda contente.
Tinha agora, outra vitima escolhida. Uma que não cabia no mundo.
Escolheu precisamente suas armas e começou o desfecho.
Parecia que seria fácil, mas aos poucos, foi se vendo uma batalha começar.
Pensou que poderia obter ajuda, mas queria toda a glória.
Fez sentir a dor jogar-se em todos os cantos. Sorriu com luxúria ao ver resultados.
Nenhuma tentativa estava funcionando do outro lado. A vitória estava garantida.
Sangue num copo sendo servido como vinho. Êxtase.
As fotos foram apagando-se aos poucos. A alegria dela foi acabando.
Agora era hora de partir. Seu trabalho estava feito.
Era esperar enquanto trabalhava em outra dimensão.
Talvez, sobreviessem aquilo.
A verdade é, que poderiam sim, sair ilesos dela.
Bastasse que ambos quisessem.