domingo, 8 de julho de 2012

Não Dito

Deixem queimar no ardor do dia ou da noite,
Passos esquecidos por correrem tão juntos.
Quisera matar toda agonia sentida,
Retorcer por dentro uma alma calada.
Candura do "limbo" que se misturou as cinzas,
Do lado de dentro do peito pra gritar.
Rasuras escritas na mente,
Ventos sujos ocultando tudo.
Nada apagaria a lembrança feita,
O amor vale muito mais.
Seja qual for o teu direito,
Abra o coração pra sentir.
O simples e o complexo,
São os mesmo no final...


2 Confessaram:

C. disse...

Que SAUDADE de vir aqui. Tem gente que é um achado nesse mundo cheio de pseudo poetas, tu é um GRANDE achado. Me renovo nas tuas poesias.

Tayná Gonçalves disse...

Parece que as palavras que não consigo escrever, encontro aqui de alguma forma, obrigada por esse 'lugar'.

Postar um comentário