terça-feira, 8 de maio de 2012

Fenda

Desisti das minhas asas de demônio.
Tentei criar um único lugar, onde eu fosse digno de minha própria companhia.
Cerquei meus sentimentos num circulo, e os queimei com o fogo da aurora.
Nada que reproduzi me doeu. Abstive de tudo, em pouco tempo.
A lua veio clarear, e com ela o poder dos reis.
Tentei me avaliar ao usá-lo;
Sabedoria nunca foi meu forte.
O esquecimento jamais me abraçou.
O amor sempre me sorriu.
Tornei-me aquilo que não sei o que é.
Fiz todos felizes, e dei todas as respostas.
No final, eu fui o único a realmente morrer.