sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

O que (sempre) você vê. O que (sempre) foi.

Aquele que mesmo com uma ordem, não te deixaria em paz.
Correria, sem descanso, por um penhasco infinito, só pra poder te alcançar.
Rasgaria em pedaços todos os seus "eus" somente para poder ver um sorriso teu.
Um guerreiro apaixonado por sua Valkiria, de um modo celestial.
Sua espada foi feita com o sangue da alma.
O alimento dele, era nada mais, nada menos, que o seu amor.
Nunca existiu um estilo para isso. Nem um nome.
Criou-se então, um amor infinito.
Um mar de sentimentos, insubstituíveis.
"Eu sou ele, assim como você é ele, assim como você sou eu. E nós, estamos todos juntos".

6 Confessaram:

Sandra Oliveira disse...

"Sua espada foi feita com o sangue da alma"lindo verso que pra mim traduz: aço cortante que aparece no olhar...

Du disse...

O objetivo de um ano novo não é que nós deveríamos ter um ano novo. É que nós deveríamos ter uma alma nova - [Gilbert Keith Chesterton]

Feliz Natal, amigo!

Cah Peixoto disse...

Lindo!

Fran disse...

Nossa, muito lindo. Mesmo. Tu tens muito talento, guri.

Ana Luiza Cabral disse...

Que coisa bonita que é a sua escrita. Não se perca dela, nunca. Um beijo!

TaTa disse...

Orgulho mesmo que contido.

Postar um comentário