terça-feira, 1 de março de 2011

De qualquer maneira


Quanto tempo faz desde que não me vejo sem você?
A surpresa por conhecer pessoas que desperdiçaram tanto faz até doer.
Algo como jogar fora uma relíquia.
Tiro proveito, penso e revogo minha alma.
Não é crime ser assim, aliás, crime seria desperdiçar tanto amor.
Amor do seu jeito, da sua maneira.
Aceito e te abraço, independente do dia, de tuas luas...
A verdade, é que sempre quero mais.
Presença sua, conferindo a mim tudo o que sempre imaginei.
Uma música tocando várias vezes, gritada aqui ou ali.
As chances nunca se esgotam. Anjos peraltas adoram essa harmonia.
Ressalto, que um dia irão dizer que fomos “intensos demais”.
Eu apenas direi que sim, fomos intensos demais.
Demais para qualquer um compreender.
Às vezes, até mesmo para nossa compreensão.
E quem foi que disse que essas coisas tem algum sentido?

5 Confessaram:

| TaTa | disse...

Own...
Palavras emocionantes, viu?
Te amo, com toda intensidade que houver e puder.

Velha da Lua disse...

Muito difícil já é encontrar um amor, quem dirá que "aceite todas as luas".

Poeta da Colina disse...

"Paula e bebeto" Milton Nascimento e Caetano Veloso . (se for procurar, a versão do MPB-4 é a melhor na minha opinião)

Natalia Campos disse...

Lindas palavras.

Lívia disse...

É difícil achar um amor que saiba lhe dar com todas suas luas. Adorei! Parabéns pelo sentimento e palavras.

Postar um comentário