quinta-feira, 17 de março de 2011

Caixa Humana


Deita-se e espera a escuridão.
Fecha os olhos e deixa os pesadelos entrarem.
Eles tentam destruí-lo.
Querem que durma pra sempre.
Sensação de ser enterrado vivo. 
Faz força, contorce, gira, grita.
Em vão. Nada escuta lá de dentro.
Escravo da própria mente, das próprias criações.
Sente-se anjo, ou demônio, mas prossegue.
Destrói-se um pouco, mas essa é a natureza humana.
Revela-se muito mais do que poderia ser.
Nenhum tipo de agonia o surpreende.
Rasga as correntes, como pano velho.
Liberta-se e acorda.
Respiração rápida, ofegante.
Olha pro lado e a vê.
Se ela está do seu lado, tudo está bem.
Perfeito, com todas suas  imperfeições.

5 Confessaram:

Kah Peixoto disse...

Incrível como um único sentimento consegue destruir tanto tempo de evolução.
Ele apenas mostra a cara
deslavada de amor e pronto,
foi-se tudo! =*

Claire disse...

Que lindo.Escreve muito bem.Adoorei.Abraços.

Idiótica. disse...

Mágico. Descreve todas as sensações que mesmo estando junto nos sentimos sozinhos, e ao mesmo tempo ainda há paz por ter uma pessoa ao seu lado.

Idiótica. disse...

Texto lindo. Parabéns.

Utópica. disse...

E mesmo sabendo que lá estarão todos nossos medos, sonhamos. Lindo seu texto.

Postar um comentário