sábado, 5 de fevereiro de 2011

Transformação

Num sonho profundo, ela viaja.
Vê lugares e cores de aspectos estranhos, medidos com precisão;
Roí as unhas e conversa com o leão;
Nota-se muita sabedoria, em suas palavras;
Aplaude e se orgulha;
Incendeia rosas no campo;
O odor tem tal plenitude, que arremata carisma,
Faz lembrar da infância, a pouco perdida.
Momentos de extremo valor, importantes ou não.
Luta para voltar, quer logo estar ali.
Oferece um olho em troca do despertar.
Ele aceita.
Com uma condição:
Apesar de possuir conhecimento, ela não irá se lembrar.
Ela aceita.
Seu coração fica cego.
E ela acorda com o sentimento de jamais ter dormido.
Sabe tudo mas nunca vai se lembrar.
Jamais morrerá,
Tem sangue imortal nas veias;
Triste é que ela não sabe, apenas sente.

0 Confessaram:

Postar um comentário