domingo, 27 de fevereiro de 2011

Medo


Pode ser que não aconteça. Podem ser que sim.
Há sempre incógnitas, falsas ou não.
Um pedaço seu comigo, levo há muito tempo.
Não só na pele, mas na alma.
Sonhos que não deliram.
É claro, mas não podemos enxergar o futuro.
Sei o que quero. Sei o que queres.
Poderia hoje ser o último dia de nossas vidas, e daí, jamais saberíamos.
Crenças inventadas, seguidas a risco.
De cá e de lá. Passam mais do que nuvens sobre nós.
Orgulho real, sem deixar de lado a verdadeira paixão.
Aquele que consome e jamais desgasta.
Não importa se com o mundo girando por debaixo dos olhos.
Se deitar e dormir, lembrando de tudo, querendo sempre mais.
"Eu não vim até aqui, pra desistir agora".

3 Confessaram:

| TaTa | disse...

"Mas entendo você, se quiser ir embora..."
Que Deus nos prepare para o que der e vier.

Velha da Lua disse...

Bonito de se ler. Aliás, bonito também, ficou o novo design do blog :)

Poeta da Colina disse...

Vivemos nesta brecha entre tudo que pode dar certo e tudo que pode dar errado.

Postar um comentário