sábado, 26 de fevereiro de 2011

Hoje, amanhã


Caio. Visto-me de mim.
Sentimentos não são fingidos. Não posso, não consigo, não quero.
As fraudes que vi, as que aconteceram, só me apagaram um pouco.
Impune ou não, sempre se corre riscos. Eu quero.
Sem álibis, sem desculpas. Simplesmente amo.
Muito tempo, em pouco tempo.
Nuvens são pedaços de algodão doce, esperando pra serem devorados.
O alimento da paixão. Nutre e abastece a alma.
Alameda onde anjos residem com súplicas inertes.
Que a transparência continue existindo, aqui ou lá.
Muito que devo, que te sugo a cada dia.
Amor não se compara. Apenas se sente. Se ama.

4 Confessaram:

| TaTa | disse...

Ual.
Amo suas palavras.

Poeta da Colina disse...

Amor essa eterna hipótese

W. G. Lacerda disse...

Oi, gostei dos teus textos, depois passa no meu blog ; http://wglacerda.blogspot.com/
Até mais.

Du disse...

Verdade... amei teu jeito de escrever, parabéns!

Postar um comentário