sábado, 26 de fevereiro de 2011

Dor, Daqui


Era só uma lasca de uma singela pedra preciosa.
Brilhava com um ar de maldição.
Ao seu redor, pessoas fúteis cobiçavam, queriam pra eles aquilo.
Sempre que podia, dava noticias, só pra aborrecer mesmo.
Nunca se importou de verdade, pois quem importa, demonstra, mesmo que inconscientemente.
Num pesadelo ou outro sonho qualquer, morria sempre três vezes.
Julgou-se capaz de ser mais que qualquer um. Um dia irá perder.
Hoje ou amanhã. Ou depois de amanhã. Se já não perdeu.
Fato é que não fez diferença. Ou fez.
Olhos abertos, clareando com rigor tudo o que alcança.
Esperar o momento pra decidir.
No fim, nem tudo que reluz é ouro.
Era uma “badulaca” barata, que jamais vai deixar de ser.
Em torno de si mesma, vai rolar e implorar por auxilio.
Que fique apenas o que nos agradou.
Desejo que  tenha mais sorte na próxima encarnação.

1 Confessaram:

| TaTa | disse...

Em quantas vidas houver, o mesmo sentimento nutrido.

Postar um comentário